Aos 97 anos, mineira irá se graduar em Direito

Tempo de leitura: 2 minutos

003

Aos 97 anos, mineira irá se graduar em Direito

Qual é a sua desculpa para permanecer estagnado?

No próximo dia 7 de agosto, Charmes Salles Rolim, de 97 anos, receberá o diploma de bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Ipatinga (Fadipa), em Minas Gerais. A graduação de Dona Charmes, como é chamada pelos amigos, é um inspiração para todos e está sendo festejada tanto pela família e amigos, como por desconhecidos de diferentes partes do Brasil. A cerimônia será no auditório Fiemg, no Centro de Desenvolvimento de Pessoal da Usiminas (CDP)
A meta de Dona Charmes, depois de se formar, é auxiliar a sociedade compartilhando o seu conhecimento. “Sei que a minha idade não me dá muito prazo. Por isso, o que eu quero é ser útil a quem me procurar, compartilhar o conhecimento. E se eu não souber responder algo, orientar a pessoa a buscar quem saiba”, revela ao Terra.
A nonagenária nasceu em Santa Maria de Itabira e atualmente mora em Ipatinga com um filho. A maior parte de sua vida trabalhou na farmácia do marido José Maria Rolim, com quem teve dez filhos e foi casada por 63 anos. Para ela, a instrução é o pontapé inicial para a transformação social. “O ser humano deve aprender a distinguir entre o bem e o mal e, para isso, precisa ter acesso a uma fonte esclarecedora. Se eu puder ajudar nisso, ficarei muito feliz”, afirma.
Embora uma formação superior fosse um grande sonho da formanda, Dona Charmes só decidiu entrar para a faculdade depois da morte do esposo, que não aprovava a ideia por ser deveras ciumento. A estudante gostou tanto do curso de Direito que chegou a revelar até que se matricularia uma outra vez caso fosse mais nova. “No Direito, há sempre muito a aprender. Esses cinco anos foram maravilhosos”, confessou.
A estudante tem o hábito de escrever poesias e diz que prefere estudar pela madrugada devido ao silêncio. Para aqueles que usam a idade como desculpa pela inércia e ficam parados no tempo, sem produzir ou tomar qualquer iniciativa, e que desistem dos sonhos por achar que é tarde demais, Dona Charmes tem uma palavra a dizer: “paresse”, que traduzindo do francês significa preguiça.
“A gente sempre pode aprender, mesmo que seja a conviver melhor com as pessoas”. Além do conhecimento jurídico, a universitária afirma que levará da graduação as lembranças de cada professor, o carinho recebido e a saudade dos amigos. “Isso ficará pra sempre”, conclui Dona Charmes.

Com informações do Terra.  Fonte: Administradores

Deixe seu comentário: