UNIÃO DE PEQUENAS EMPRESAS MELHORA TURISMO

Tempo de leitura: 2 minutos

016

UNIÃO DE PEQUENAS EMPRESAS FORTALECE TURISMO NO LITORAL DO PARANÁ

A união faz a força, a união faz a diferença. A citação bíblica que virou ditado popular transformou-se em uma prática comum para diversos empresários de micro e pequenas empresas instalados no litoral do Paraná. Com incentivo e apoio do Sebrae no Paraná, empreendedores do setor de turismo decidiram unir-se em redes empresariais para conquistar objetivos comuns e melhorar a gestão e o desempenho de seus negócios.

Até o momento, são quatro redes em operação. Duas delas reúnem empresários da Ilha do Mel, Encantadas e Brasília. Outras duas foram organizadas mais recentemente, em Paranaguá e Matinhos. Juntas, elas somam aproximadamente 40 empreendimentos, dentre hotéis, pousadas e restaurantes.
“A forma mais simples de descrever uma rede empresarial é defini-la como um grupo que faz trabalhos em conjunto porque tem demandas em comum. São empreendedores que buscam o desenvolvimento de forma coletiva. Isto é, todas as empresas têm particularidades fundamentais para seu sucesso, mas também dependem de um sistema em comum para prosperar ainda mais”, explica o consultor do Sebrae no Paraná, Gilberto Keserle.
Algumas ações, explica ele, são inerentes a todos os negócios, como a promoção do destino turístico e a articulação junto ao poder público e entidades empresariais, para melhorar a infraestrutura e qualificar negócios. Para Keserle, essa iniciativa é uma estratégia inteligente das micro e pequenas empresas ganharem competitividade, reduzirem custos e promoverem negócios com rendimento para todos. Também ajuda a conquistar a competitividade sistêmica e setorial.
A partir das redes, os empresários podem fazer compras coletivas e obter vantagens como descontos, programas de fidelidade, consultorias para melhorias nos processos de todos. “Já as demandas sistêmicas se dão em um nível mais alto do poder público, como Executivo e Legislativo e têm o objetivo de buscar benefícios como redução de impostos, leis que beneficiem o setor”, afirma o consultor.

Associativismo

Equipe-unidaO Sebrae no Paraná sempre trabalhou com o associativismo entre os donos de micro e pequenas empresas. Já o formato de rede empresarial nasceu com o Programa Sebrae 2014, que desenvolveu iniciativas dentro de elos produtivos prioritários voltadas para a Copa de 2014, realizada no Brasil. No estado, já existem cerca de 15 redes empresariais formadas em Curitiba e Região dos Campos Gerais, além do Litoral. “Essa é uma estratégia de organização e fortalecimento da micro e pequena empresa. O associativismo é um conceito amplo e rede empresarial é um dos modelos dentro dele”, ensina Keserle.
O trabalho coletivo pode ajudar na atração, durante o ano inteiro, de turistas para o litoral do Paraná assim como melhorar ainda mais a recepção e o atendimento dos visitantes. Se um hotel não pode receber um evento ou grupos de turistas, indica outro estabelecimento que atenderá com a mesma qualidade. “Um empresário acaba ajudando o outro, um tem serviço que o outro não tem e indica, e assim vão se ajudando e melhorando a qualidade dos produtos e serviços.”

Fonte: Administradores

Deixe seu comentário: